Celebrações Family

Casamento civil

December 7, 2007

Casei no civil! A cerimônia foi no dia 20 de novembro e não durou dez minutos. Cheguei lá com duas horas de atraso porque levei muito tempo para me arrumar e porque ficamos presos em um engarrafamento monstro. Por telefone, as cerimonialistas gritavam comigo, eu gritava de volta com elas e o dono do cartório ameaçava não me esperar porque eu estava demorando muito. Mas carro não voa e ele teve de nos esperar sim. Afinal, eu estava pagando.

Cheguei lá com a cara amarrada e com vontade de socar o primeiro que atravessasse meu caminho. A juíza de paz estava com a cara ainda mais amarrada que a minha, provavelmente por estar de saco cheio de me esperar. A tradutora (requerimento obrigatório em casamento com estrangeiro), que cobra por hora, faturou uma pequena fortuna por conta do meu atraso. Resumindo, eu coloquei a todos nós naquela sinuca de bico e até que foi bem feito para eu aprender a ser pontual.

Eu estava tão estressada que não consigo me lembrar dos detalhes da cerimônia. Só lembro de assinar o livro e de todo mundo depois me abraçando. Nada de choro de emoção, beijos apaixonados, nem juras de amor eterno. Esqueça os casamentos floreados das novelas da Globo. O meu foi puro estresse. Só tentava disfarçar meu mau humor quando a fotógrafa se aproximava para tirar uma foto nossa. Fiquei aliviada quando tudo terminou e voltamos para casa para descansar antes de irmos para o restaurante celebrar com as famílias.

Chegamos ao restaurante embaixo de chuva e eu com uma tremenda dor de cabeça. Mas a fotógrafa já estava lá nos esperando, então toma mais caras e bocas para aparecer bem nas fotos e não fazer minha mãe passar vergonha (hahaha). Para nosso jantar convidamos apenas nossos pais e as testemunhas, além d0 enfermeiro do meu sogro, que é um fofo. Reservamos uma sala vip no restaurante italiano Oriundi, que é comandado pelo premiado chef  Juarez Campos. Ganhamos dele uns mimosinhos de presente de casamento.

Meus pais gostaram muito da comida e jantaram super bem. Eu também gostei de tudo, mas quase não comi porque estava muito cansada e a dor de cabeça estava consumindo minhas energias e meu apetite. Todos se divertiram, comeram e beberam muito bem. Saímos de lá tarde da noite, ainda embaixo de chuva, mas naquele ponto eu já estava mais relaxada e menos nervosa. Ficamos hospedados num hotel bacana perto dali e dormimos como bebês para na manhã seguinte partirmos para nossa lua-de-mel em Serra Negra. 

Eu sei que todos esperavam um post mais romântico, mas o fato é que apesar de estar tecnicamente casada minha ficha ainda não caiu. Meu marido está num país e eu em outro, as coisas continuam do mesmo jeito de antes e eu não sinto que minha vida mudou em nada. Às vezes só lembro que estou casada quando alguém menciona o fato. Não é estranho?

You Might Also Like